A Experiência Artística nos bairros de Wynwood, Midtown e Design em Miami

    Por Saundra Amrhein

    Susana Baker e sua meia dúzia de convidados caminham lentamente por uma exposição de madeira elaboradamente esculpida e pintada, retratando a fauna e a vida selvagem da Flórida.

    Em seguida, o diretor da Galeria Zadok, Mark Smith, os orienta em exposições de tapeçarias de jacquard, a fotografia de Tatiana Parcero e o monofilamento de carvão do artista sul-coreano Seon Ghi Bahk, cujas obras de uma mesa e vaso são suspensas no ar. Antes de sair, o grupo circunda as estruturas hipnóticas tipo prisma de Gabriel Dawe, feitas com 84 milhas de fio multicolorido.

    Enquanto o grupo deixa esta galeria no distrito artístico de Wynwood, em direção a uma exposição do trabalho fotográfico de Clyde Butcher sobre Cuba no Center for Visual Communication, Baker pergunta: “Vocês sabiam que isso estava aqui bem perto de vocês? Não é incrível?

    O grupo estava ciente da crescente atenção internacional dada a essa próspera área urbana e artística de Miami que inclui os distritos Wynwood, Midtown e Design.

    Baker fundou a “Art Experience” em 2009 para fornecer exposição íntima a uma área que explode com vida e milhares de pedestres durante o popular evento “Second Saturday Art Walks” em Wynwood. Os participantes do tour são levados aos três distritos, recebem tours privados em cinco ou seis galerias e uma coleção particular e, em seguida, desfrutam um jantar de três pratos à sua escolha em um dos vários restaurantes finos localizados nesses bairros.

    “No tour Second Saturdays não é possível fazer isso. É muita loucura”, diz Baker no trânsito do bairro de Midtown, esperando atrás de um táxi que estaciona para duas mulheres usando biquínis, xales, saltos altos e chapéus de palha chiques.

    Seus passeios “Second Saturdays” envolvem uma galeria de arte da Flórida- e visita a vários bares, mas não a atenção individualizada desse tipo de turismo, que ela chama de “Jantar, Design e Explorar as Artes.” Enquanto dirige, sua meia dúzia de passageiros olha para os elegantes edifícios e lofts do Midtown em frente a quadras de cafés, restaurantes e lojas de tijolos vermelhos e butiques.

    Eles acabaram de sair de um tour personalizado pela coleção de arte privada e mundialmente famosa De La Cruz, no adjacente Design District. A pé ou na van, Baker oferece uma história e comentários sobre a ascensão, queda e reinvenção dos três bairros, que recentemente passaram de regiões deterioradas a áreas com murais públicos, galerias prósperas, coleções de arte de prestígio e designers como Hermes, Prada e Louis Vuitton.

    “São designers globais de alto nível”, diz ela sobre o Design District agora. "É uma grande atração para designers de interiores e arquitetos".

    Além das fachadas de lojas, ela dirige pelos bairros residenciais do Miami Design District, exibindo a arquitetura histórica do estilo mediterrâneo espanhol e de bangalôs art déco. De volta a Wynwood, o grupo percorre várias outras galerias de arte contemporânea e arte de rua de exteriores de armazéns pintados, bem como os murais fechados de Wynwood Walls.

    “Quem gostaria de um pouco de café cubano?” Baker pergunta ao grupo. "Depois de ver toda essa arte, você tem que fazer uma pausa."

    Baker leva a van para um terreno próximo de Midtown, atrás de uma fachada despretensiosa, onde sozinhos os passageiros provavelmente passariam sem perceber. Eles entram na Las Tias - segundo Baker "a melhor loja de consignação do país", cujos donos, antes no mercado imobiliário, vendem itens obtidos de residentes ricos e famosos de Miami. Dentro há lustres, sofás macios, armários e portas convertidas em mesas de centro. Enquanto Baker cumprimenta a proprietária, Esther Percal, a equipe serve café cubano doce e espesso em delicadas xícaras de café.

    Algumas pessoas do tour circulam pela loja. David Roelant, 54, senta perto da entrada. O único no grupo de Miami, ele participou dos passeios de arte “Second Saturday” várias vezes, diz ele. Apesar de divertida, a experiência de passar por algumas dezenas de galerias faz sua cabeça girar. "Quando chego em casa, penso: “O que acabei de ver?'"

    Mas essa visita guiada pessoal com Baker acrescentou perspectiva e contexto. "Eu posso ter uma visão geral".

    Ele está acompanhado da namorada, Lisa Lewandowski, que ensina ilustração e design gráfico no College of Creative Studies, perto de Detroit. Roelant convidou-a para esse tour na esperança de atrai-la para se mudar para Miami depois de ver seu promissor mundo artístico.

    Também participam do tour Iris Leekey e sua amiga, Isabelle Leger. Há anos as duas mulheres queriam ir de carro de Pembroke Pines, onde residem, até o bairro de arte de Miami, mas se sentiam intimidadas. Até que encontraram a oferta do tour de Baker online.

    “Sempre quis conhecer essa área, mas é quase sufocante", disse Leekey.

    Acessibilidade era o passaporte de Baker - literalmente. Uma residente do Miami Design District desde o início dos anos 90, antes do bairro estar na moda, a visão de Baker de seu próprio bairro mudou em 2009, quando ela participou da abertura de uma galeria em Wynwood.

    “Vejo DJs, música e pernas-de-pau na rua, e penso: 'O que é isso?'" Ela foi para casa e trabalhou no computador até bem depois da meia-noite. A ex-comerciante de corporações time-share começou a projetar um passaporte de arte usando os mesmos segredos sobre pacotes de ofertas que a tornaram bem-sucedida em seu antigo emprego antes da recessão. O passaporte “Art Experience” forneceu mapas e informações sobre galerias.

    Ela construiu parcerias que trouxeram anúncios para os passaportes, bem como promoções 2-por-1 em bares e restaurantes locais e admissão em festas e eventos VIP, ela explica antes de deixar os visitantes do passeio em seus restaurantes designados. Ela então desfruta sua própria refeição no Shokudo do Design District - que serve deliciosos bolinhos de batata com curry, pad thai de frango e curry vermelho tailandês.

    "Você não precisa pensar em nada", diz ela.

    Se você for…

    Os tours de jantar-arte-design de Baker custam de US$ 89 a US$ 145, incluindo no mínimo uma refeição de três pratos. (As excursões “Second Saturday” custam US$ 35). Eles estão disponíveis em russo, francês e espanhol e, em breve, em alemão.  Ela também oferece passeios em Coconut Grove, South Beach e durante o evento Art Basel. Para obter mais informações, ligue para 305.767.5000 ou 305.722.4541 ou acesse theartexperiences.com.

     

    SPONSORS & PARTNERS