Por Carlos Harrison

Os graves reverberam. A música pulsa através das paredes. Do chão. Dos móveis. Cubos de gelo dançam nos copos nas mesas. A voz do cantor explode dos alto-falantes: “Me hiciste brujeria.”

Traduzindo: “Você me enfeitiçou.” E, olhando ao redor no Tucandela Bar ao bater a meia-noite de uma sexta-feira, isso parece verdade.

Dançarinos de roupa apertada se amontoam na pista de dança e balançam o corpo em uníssono 
— eles seguem o mesmo ritmo, mas cada um com movimentos únicos. Pode-se dizer o mesmo das garçonetes, à medida que deslizam pelo ambiente, erguendo baldes de gelo reluzentes. Os baldes brilham de dentro para fora. Isso lhes dá um brilho sobrenatural – luzes estelares árticas em um balde.

As pessoas sentadas às mesas balançam os ombros e as cabeças no ritmo da batida. Outras no bar marcam o compasso com o pé, dançando sem sair do lugar. E os atendentes do bar também.

É como se todo mundo estivesse enfeitiçado pela música. E, como disse o DJ Andres Ferro, esse 
é o objetivo dele.

“Eu percebo a reação das pessoas e toco músicas com base nas suas emoções”, explicou ele. “Quando o DJ acerta, elas não conseguem se segurar. Elas precisam dançar. É mágico. 
É exatamente isso.”

Quando terminou de girar a namorada na entrada da pista de dança, Christian Insignares concordou.

“Eles têm boas transições e mantêm as coisas em movimento”, disse ele. “Alguns clubes têm música latina, mas depois mudam para rock. Não faz sentido.”

Aqui não. Aqui é reggaeton e salsa, bachata e cumbia – tudo música latina. A noite inteira. Mas 
não só em espanhol. Também tem o Pitbull cantando “No pare la fi-es-TA! Don’t stop the par-TY!”

De fato, parar a festa não parece uma possibilidade no momento. As pessoas estão pulando e balançando a cabeça no ritmo da batida. E, de acordo com Pedro Osorio, gerente do Tucandela, 
à meia-noite, “só está começando”.

Na verdade, o Tucandela são dois clubes em um. Ele é um derivado do vizinho de baixo no Mary Brickell Village de Miami, o Baru. Os dois começaram em Bogotá, Colômbia, e expandiram para o Panamá. E depois para Miami.

A grosso modo, Tucandela significa “sua chama”, e ele com certeza é bem quente. O interior é revestido com tijolos rústicos. É compacto, com cantos integrados que oferecem vários espaços conjugados, mas separados, todos com acesso à pista de dança principal, que é redonda. O DJ fica em um palco elevado sobre a área principal, de onde pode observar a multidão e escolher suas seleções de acordo. O ambiente é escuro com um brilho avermelhado, dando ao lugar a sensação de uma rave rústica com um toque latino, uma fiesta à luz do fogo.

“Já fomos a outros bares Baru”, disse Tomas Dominguez, que está com um grupo de amigos comemorando o aniversário de um deles, “mas este é ótimo. O ambiente. As mulheres. A música. 
É um lugar muito bom para beber e se divertir.”

Tucandela Bar
Mary Brickell Village, 901 South Miami Ave., Miami, FL 33130
786-431-8892

 

El Patio Wynwood
El Patio é exatamente o que diz seu nome — um espaço ao ar livre para dançar, socializar, beber e comer petiscos, envolto em vegetação exuberante e, de acordo com um dos donos, decorado com “entulho” da Colômbia — portas, janelas e uma mistura eclética de mobília ao ar livre — bem como um bar feito de madeira empilhada.

O objetivo? Parecer o pátio da casa de uma avó colombiana. Mas essa vovó é descolada. DJs 
e bandas ao vivo cuidam do som, desde o reggae e a salsa até a música latina da velha guarda 
e o “electropico”, descrito como “salsa vintage misturada com música eletrônica”.

As apresentações ao vivo já incluíram Xperimento, Bachaco e a banda latina de rock alternativo Atajos, que lançou seu último álbum e videoclipe no clube. Entre os pratos oferecidos, há chorizos 
a la parilla, asas de frango e o hambúrguer El Patio com queijo suíço. As cervejas artesanais incluem uma seleção sazonal de cervejas locais da Wynwood Brewery.

El Patio Wynwood
167 NW 23rd St., Miami, FL 33127
786-409-224

A banda afrocubana PALO

A banda afrocubana PALO! coloca a multidão para dançar no Ball & Chain em Little Havana.

- Patrick Farrell para o VISIT FLORIDA

 

Ball and Chain
Antes de Little Havana, o bairro de Miami hoje internacionalmente famoso por seu estilo cubano era conhecido como Riverside, e o bar hoje conhecido como Ball and Chain era um local favorito de muitos dos músicos de jazz mais famosos do mundo, incluindo Louis Armstrong, Billie Holiday, Count Basie e Chet Baker.

Também tinha uma reputação notoriamente obscura — para não dizer criminosa — como um covil de apostas ilegais. Depois vieram os exilados cubanos de Fidel Castro e a famosa transformação que fez de Miami a verdadeira capital da América Latina.

O que faltava, como decidiram os novos donos do clube, era um verdadeiro “pachanga” cubano com DJs e bandas ao vivo, incluindo a Tiempo Libre, que ganhou três Grammys, tocando salsa 
e jazz latinos de verdade. Sem contar a área principal de 278 metros quadrados com tetos abobadados de pinho do Condado de Dade e um oásis ao ar livre com um palco realista em forma de abacaxi.

Ball and Chain
1513 Calle Ocho (SW 8th St.), Miami, FL 33135
305-643-7820
 

Hoy Como Ayer
Como diz o nome, que significa “Hoje Como Ontem”, esse espaço é uma viagem ao passado 
— pelo menos musicalmente. Esse pequeno clube de Little Havana é compacto e aconchegante, mas grande em oferecer os melhores sons da verdadeira música cubana.

Em qualquer noite, você encontrará ícones como Albita e Malena Burke, e novatos como Spam Allstars e Amaury Gutierrez seguindo as tradições musicais da ilha.

É uma viagem nostálgica para os verdadeiros amantes da música, onde os clientes se sentam 
— ou dançam — pertinho dos artistas, e não é nenhuma surpresa que celebridades como Pitbull, Shakira ou Marc Anthony passem para dar um show.

O cardápio inclui pratos típicos cubanos como porco assado, tamales e chicharrones (torresmos fritos), mas com nomes musicais, como Bolero, Mambo e Guaguanco. Há um bar completo e serviço de garrafa. Chegue cedo para conseguir se sentar; fique até tarde para realmente curtir 
o lugar. Nunca se sabe quem vai chegar e se juntar ao som, ou quando.

Hoy Como Ayer
2212 SW Eighth St., Miami, FL 33135
305-541-2631
 

La Covacha
Como no caso do Hoy Como Ayer, esse espaço já existe há anos – o que é surpreendente para Miami. Talvez por ser simplesmente excelente. A lista de estrelas e superestrelas que já se apresentaram no La Covacha faz dele um Fillmore moderno para a música latina.

Uma lista parcial inclui a banda de rock colombiana Aterciopelados, os megamúsicos de reggaeton porto-riquenhos Calle 13, os reis da salsa Willie Colon e Oscar D’Leon, Victor Manuelle, Franco de Vita e La Oreja de Van Gogh.

Para começar, é um lugar incomparável com a melhor música latina e completamente no estilo fiesta latina. Quer você esteja participando, quer esteja apenas admirando as excepcionais exibições de rumba, cumbia e salsa na pista de dança — e as pessoas lindas que estejam fazendo isso — La Covacha é imperdível para os amantes da dança. O espaço abre às 22 horas. A festa vai até as 4 da manhã.

La Covacha
10730 NW 25th St., Doral, FL 33172
305-594-3717

MAIS DE MIAMI