Explore a História da Flórida nos Fortes de St. Augustine

    Por Amy Wimmer Schwarb

    Depois que o sol se põe no centro de St. Augustine, os bares animados fecham, as ruas estão desertas e os turistas voltam para seus quartos de hotel, o Castillo de San Marcos National Monument reina sobre a noite, lançando suas sombras solenes sobre a orla desta pequena e vibrante cidade.

    Talvez o ar de autoridade do forte resulte simplesmente do tamanho do Castillo. A estrutura do edifício por si é tão grande quanto uma quadra da cidade, ocupando mais de 20 acres ao longo da área do centro. À noite, as torres de observação do Castillo se elevam do fosso abaixo, dando ao forte uma aparência intimidante.

    E é por isso que o Castillo seja talvez a parada mais importante de uma visita a St. Augustine. Em nenhum outro lugar da Flórida você pode ver, sentir e compreender o papel crítico dessa pequena cidade durante os anos em que os países do oeste europeu batalhavam pela Costa do Atlântico no Novo Mundo.

    John Murphy, o chefe de interpretação e educação do Castillo e do Fort Matanzas National Monument, observa que o Serviço do Parque Nacional adicionou recentemente quadros de interpretação em espanhol às exposições.

    A construção do Castillo começou em 1672, sete anos depois que o marinheiro espanhol Pedro Menendez de Aviles pisou em terra na aldeia Timucuan de Seloy e estabeleceu o assentamento espanhol de St. Augustine.

    A maioria das pessoas que visita o forte simplesmente caminham pela fortaleza com um programa de tour autoguiado fornecido na bilheteria. Dentro do forte, os visitantes podem investigar os diversos cômodos no primeiro nível do forte, incluindo uma capela e uma cela única usada como a primeira prisão da cidade, e um vídeo sobre a importância do Castillo.

    Mas a verdadeira maravilha deste forte pode ser vista no segundo nível, onde amplas vistas de St. Augustine, vistas de perto das torres onde antes soldados mantinham guarda e demonstrações de canhões dão vida ao forte.

    Pessoas fazendo reencenação disparam canhões cinco vezes por dia às sextas, sábados e domingos.

    “Para muitas pessoas, (os canhões) são a razão da existência deste lugar” diz Murphy.

    O Castillo, listado na Spanish Colonial Heritage Trail da Flórida, faz jus a muitos superlativos. É o local no extremo norte do amplo território da Espanha no Novo Mundo, o forte colonial espanhol mais bem preservado dos Estados Unidos e o forte de alvenaria mais antigo da América do Norte.

    O Castillo é o mais notável dos fortes de St. Augustine. Mas para uma visão completa de como os espanhóis protegeram seu assentamento, considere visitar os locais de outras duas fortificações na área.

    Em 1738, o governador espanhol da Flórida ofereceu liberdade a escravos fugitivos das colônias britânicas que estavam dispostos a se converter ao catolicismo.

    Muitos dos ex-escravos se estabeleceram em uma comunidade no norte da cidade chamada Fort Mose, tornando-a a primeira comunidade legalmente aprovada dos negros livres no que se tornaria os Estados Unidos.

    Fort Mose teve também um papel militar. Foi a defesa do norte de St. Augustine contra a invasão dos britânicos, e testemunhou a ação contra tropas invasoras na Batalha de Bloody Mose em 1740. Hoje, o local é um parque estadual da Flórida, e os visitantes podem fazer um tour em um pequeno museu e caminhar pela área de Mose, embora não reste nenhuma estrutura.

    Quase 70 anos após o início da construção no Castillo, os espanhóis decidiram que o forte, que há muito protegia St. Augustine, precisava ele próprio de proteção. A construção do Fort Matanzas, construído na enseada de Matanzas para impedir a aproximação a St. Augustine pelo sul, foi concluída em 1742.

    O Fort Matanzas tem 15 metros em cada lado e uma torre de aproximadamente 9 metros — consideravelmente menor que o Castillo de San Marcos. Devido à sua localização remota, os soldados se alternavam em jornadas de trabalho de 30 dias. Hoje, o local permanece remoto; os visitantes precisam pegar uma balsa até o local do forte na Rattlesnake Island, e passes de embarque para a balsa são emitidos no Centro para Visitantes à base de primeiro a chegar, primeiro a ser servido. O National Park Service não cobra nenhuma taxa para a balsa ou o forte.

    “O Castillo pode ficar muito movimentado com multidões de pessoas”, diz Murphy. “O que é legal em Matanzas é que só é possível chegar lá de barco. Tem mais mobília característica de sua era do que o Castillo, e é mais aconchegante.”

    Outro fato peculiar no Fort Matanzas: Para ter a vista do alto como tinham os soldados, os visitantes precisam subir uma escada para chegar ao teto. A praia da ilha é um lugar popular, porém tranquilo, para caminhar e nadar ou para fazer um autêntico piquenique. Antes de embarcar na balsa faça uma parada no Spanish Bakery & Cafe no centro de St. Augustine para empanadas, picadillo ou biscoitos espanhóis.

    “E em termos de mar”, diz Murphy, “temos o que considero a praia mais bela do condado de St. Johns”.

     

    Quando você for:

    Castillo de San Marcos, 1 S. Castillo Drive, St. Augustine, 904-829-6506, nps.gov/casa
    Fort Matanzasnps.gov/foma/
    Fort Mose, 15 Fort Mose Trail, St. Augustine, 904-823-2232, floridastateparks/org/fortmose/
    Spanish Bakery, 42-1/2 St. George St., St. Augustine, spanishbakerycafe.com, 904-342-7859

    STRATEGIC ALLIANCE PARTNERS