Uma Introdução ao Kitesurf na Flórida

    O kitesurf na Flórida faz muito mais sucesso e é muito mais radical do que o windsurf tradicional, que parece inofensivo se comparado ao kitesurf.

    Por Thomas Becnel

    Mesmo os piores kitesurfistas do mundo – iniciantes desajeitados como eu, que mal conseguem ficar em pé na prancha, muito menos controlar uma pipa – imediatamente entendem o poder desse esporte radical. Desde o início da sua primeira aula, você pode sentir isso nas mãos e na boca do estômago, pois a enorme vela do kite ameaça levantá-lo do chão e arrastá-lo pela praia.

    Na água, essa força reveladora o fará deslizar pela superfície ou, no meu caso, fará você afundar sem aviso, várias vezes.

    O kiteboard na Flórida faz muito mais sucesso e é muito mais radical do que o windsurf tradicional, que parece inofensivo se comparado ao kitesurf. Você precisa de menos vento, o que é bom, mas de mais espaço de manobra, o que é ruim. Há mais risco, tanto para você quanto para as pessoas ao seu redor. Não é para quem tem sofre dos nervos ou problemas no coração.

    Os instrutores contam com kites de vários tamanhos à disposição, de acordo com o peso do aluno, nível de condicionamento e força do vento, para permitir que todos aprendam e evoluam com segurança. Alguns alunos, principalmente aqueles habituados ao wakeboard, aprendem o esporte na hora. E outros, como eu, se esforçam, antes que o kite, a prancha e o piloto se embolem rapidamente.

    A melhor performance da minha primeira aula durou apenas alguns segundos, mas acho que vou me lembrar dessa sensação por muito tempo.

    Nos cartões de visita de Kitemare (que rima com “nightmare”, pesadelo em inglês), Jeff Weiss imprimiu seu slogan: “Aprenda rápido, pratique kite seguro, progrida, vá com tudo e compartilhe a sensação!”

    Hum, ok.

    Weiss, nascido na Flórida, começou a andar de kite na primavera de 2000 e fundou o Kitemare.com no verão de 2000. Com sede em St. Petersburg, a escola de kitesurf consegue aproveitar as constantes mudanças de direção do vento e das marés ao longo da costa.

    As aulas são ministradas em vários locais para aproveitar as constantes mudanças de direção do vento e das marés ao longo da costa. Entre os locais conhecidos, incluem-se a Ilha do Tesouro, a Praia de St. Pete, o Parque Fort De Soto e a Ponte Skyway. Os iniciantes começam com um pequeno kite de treinamento, aprendendo os fundamentos das cordas e de voo. Conduzir é simples, mas a lição logo passa para as zonas neutras e de potência, além de fazer manobras com segurança ao longo do voo.

    Para quem está pensando em aprender kiteboard (também chamado de kitesurf) na Flórida, a maneira mais segura e econômica de começar é com um pequeno kite de treinamento de 2,5 a 3,5 metros. Os iniciantes começam com um pequeno kite de treinamento, aprendendo os fundamentos das cordas e de voo. Conduzir é simples, mas a lição logo passa para as zonas neutras e de potência, além de fazer manobras com segurança ao longo do voo.

    Os alunos terão muitos treinos de relançamento, pois tendem a soltar repetidamente o kite na água enquanto aprendem a voar. Isso logo se tornou a minha melhor habilidade.

    A próxima etapa é movimentar o corpo, habilidade essencial em que o aluno aprende a usar a força do kite para se mover na água sem prancha. Em seguida, os alunos evoluem para movimentar o corpo enquanto conduzem o kite com uma mão e movem a prancha com a outra. Finalmente, aprenderão como fazer uma “largada na água”, colocando os pés nas correias da prancha e, em seguida, girando o kite rapidamente para gerar a força extra necessária para puxar o surfista para cima e para a prancha.

    Manter todas essas coisas em mente simultaneamente é como tentar dar um tapinha na cabeça e esfregar a barriga ao mesmo tempo. Quando você se confunde, solta o kite, a prancha sai voando e você fica com o rosto cheio de água salgada.

    Ventos fracos frustraram minha primeira aula, que se estendeu por alguns dias, mas acabou me dando mais tempo de kite. Usei um arnês de voo e um capacete de segurança com receptor de rádio, para tornar mais fácil para Weiss me treinar nas manobras.

    Milagre dos milagres, pelo menos uma ou duas vezes fiz tudo certo, a prancha apareceu e eu estava praticando kitesurf.

    Weiss diz que, ao contrário do windsurf, onde as manobras mais divertidas e difíceis levam muito tempo para aprender, as emoções do kitesurf na Flórida são imediatas – preso ao kite, com os pés nas correias e deslizando sobre a água como esquiador aquático ou fazendo wakeboard apenas com a força do vento.

    Seguindo o slogan do Kitemare, suponho que minhas notas foram misturadas. Acho que não aprendi muito rápido, mas consegui andar de kite com segurança. Realmente não fui muito radical nem ousado, mas com certeza tentei compartilhar a sensação.

    O site Kitemare.com foi criado para todos os níveis de kitesurfistas. Clique nele e você também poderá contar aos seus amigos em breve: “Não apenas visitei a Flórida, mas também me tornei um kitesurfista!”

    STRATEGIC ALLIANCE PARTNERS