Pesca com Vara na Flórida: Píeres e Docas na Costa Leste do Estado

    Por David A. Brown

    Não tem barco? Não gosta de molhar os pés? Quer pescar na Flórida?

    Não tem problema. A região central da costa leste da Flórida possui vários píeres e docas para pesca.  Com fácil acesso, os amantes da pesca com vara podem se aproximar das águas costeiras mais profundas e produtivas ao longo das praias e enseadas. Adicione a isso a brisa do mar, o efeito melódico das ondas e a visão frequente de golfinhos. Esses espetaculares pontos de pesca oferecem um ambiente convidativo e amenidades que permitem que você entre e saia quando quiser.

    Píeres como os de Daytona Beach, Cocoa Beach e Jupiter Inlet, bem como as docas adequadas para pedestres em Ponce, Sebastian e Fort Pierce, funcionam praticamente sem fechar, mas sempre leve em conta os efeitos das marés lunares. As marés cheias indicam mais atividade, já que predadores itinerantes, como cavala, peixe-rei, tarpão, bacalhau, anchova e tubarões, seguem os cardumes de peixes-isca que vivem nas águas próximas a essas estruturas.

    As docas, locais favoritos da pesca com vara na Flórida, apresentam outro pico de atividade quando as marés vazam pelas enseadas, trazendo com elas uma variedade de peixes e crustáceos das águas represadas.

    As poderosas águas que entram ou saem também têm efeito sobre em que lado (ou extremidade) do cais se deve pescar para evitar o emaranhamento. Já as fases intermediárias (também chamadas de estofo de maré) permitem a pesca diretamente sob o cais ou junto às pedras, atividade mais difícil nas fases ativas das marés. Os peixes são normalmente menos agressivos quando a corrente marítima diminui e uma isca específica costuma atraí-los com mais facilidade.

    Numa pesca informal, uma plataforma dupla rebocada com anzóis número 2 e uma chumbada piramidal de 56 a 170 gramas na parte inferior pode atrair uma mistura de peixe-galho, badejo, peixe vermelho, corvina preta, linguado, anchova e truta, alguns dos peixes mais populares da Flórida. As moscas duplas, vendidas na maioria das lojas de equipamentos, são fáceis de amarrar e personalizar com vários flutuadores coloridos e contas que mantêm os anzóis com isca acima do fundo. As iscas mais comuns para espécies pequenas são camarão vivo, lula, pulga do mar e mariscos (em conserva para torná-los mais resistentes).

    Quando estiver pronto para enfrentar um desafio maior, pesque com cortes de sardinha, badejo ou tainha, ou com isca viva (dourada, sardinha), com a ajuda de um sonar localizador de peixes (vendido em lojas de iscas). A pesca com isca viva com o carretel desbloqueado também funciona, mas certifique-se de que, ao nadar livremente, sua isca não se enrosque na linha de seus vizinhos.

    A pesca com vara em píeres e docas vai bem com equipamento de fiação de peso médio ou semipesados e linha que suporta de 5 a 14 quilos, dependendo da espécie que estiver interessado em pescar. O mesmo conjunto de 2,1 metros a 2,3 metros comumente usado para pesca em terra é suficiente, mas para lançamentos mais longos em águas mais profundas, use uma vara de pesca de 2,4 metros a 3 metros.

    Ao se preparar para a pesca, leve em consideração a distância que terá que percorrer ao local e não carregue mais peso do que o necessário. O carrinho de tração manual facilita o transporte e sustenta seu equipamento e ferramentas. Pode variar de uma cesta de supermercado com suportes de vara de pesca em PVC a carrinhos totalmente personalizados com tanque de isca, refrigerador e zíperes. Mas não há nada de errado se você simplesmente carregar uma vara de pescar, um bolso cheio de equipamentos sobressalentes e um balde de camarão.

    Essa é a maravilha de pescar em píeres e docas: você pode seguir o seu próprio ritmo, pescar pelo tempo que quiser e ainda apreciar a paisagem quando quiser relaxar.

    STRATEGIC ALLIANCE PARTNERS