A quadra mais legal em Sarasota: compras em lojas de restauração

    Por Janet K. Keeler

    Praticamente toda visita ao Sarasota Architectural Salvage começa do mesmo jeito. Os clientes sobem cinco degraus de madeira para o adentrar o cavernoso armazém de extravagância, e suas cabeças imediatamente se inclinam para trás. Os olhos vasculham do teto ao chão, lado a lado.   

    “Uau”, sussurra um visitante na primeira olhada. Eles estão momentaneamente impressionados com a amplitude de detalhes arquitetônicos vintage reaproveitados. O teto é repleto de candelabros, de peças elaboradas de aço a lanternas falsas, que parecem estar acesas para um banquete para os Cavaleiros da Távola Redonda.  

    Quando os olhos e a sensibilidade estão ajustados, os novatos se empolgam. Eles caminham por portas antigas e passam por paredes com encostos de cadeiras suspensos. Há molduras de janelas de madeira que na vida anterior podem ter sido abertas para o Golfo do México. E dezenas de rolos de macarrão de madeira prometem tortas perfeitas. Uma sala inteira de ferramentas antigas clama experiência. Um bando de flamingos de metal descansa na seção externa.  

    Precisa de um “E” metálico de três pés, vermelho como um carro de bombeiros ou qualquer outra das 26 letras do alfabeto? Escolha uma aqui. Que tal um garfo de madeira que foi usado pela última vez para jogar feno em uma fazenda na Flórida? Ou talvez uma maçaneta de vidro para dar os últimos retoques em seu chalé artesanal? A SAS, como os locais chamam, tem tudo isso e muito, muito mais.  

    Restauradores de casa sérios, praticantes de DIY (Do it yourself - Faça você mesmo) de final de semana, decoradores de alto nível e curiosos encontram o nirvana da restauração na SAS desde o início dos anos 2000. E agora, a poucos passos, o novo estabelecimento na área, Circus City Architectural Salvage, está ajudando a transformar a região ao norte do distrito vibrante e histórico da cidade, o Rosemary District, cheio de cafés e butiques, no Bairro da Restauração.    

    Essa curta faixa da Central Avenue está cada vez mais se tornando um destino obrigatório para a galera das melhorias do lar. Mesmo que você não esteja em busca de provetas de química ou carretéis de madeira vintage, é divertido ver o que os outros estão comprando. Uma mulher carregando um manequim da cintura aos joelhos disse que estava planejando pintá-lo e transformar a figura andrógina em um canteiro.  

     

    Casais prestes a se casar usam as lojas de restauração como cenário para fotos de noivado e eles até encontram peças para alugar para suas festas. 

    A SAS, o armazém de Jesse White com mais de 900 metros quadrados de salas de jantares antigas e móveis de teca da Indonésia, gerou uma loja customizada de mais de 400 metros quadrados nas redondezas, onde os clientes podem pedir móveis sob encomenda. Esses móveis, incluindo modernas portas deslizantes de celeiro, são fabricados a partir de material resgatado de casas demolidas para fazer prédios modernos.  

    White também apoia as indústrias de chalés, que é como ele acabou vendendo mobília de teca da Indonésia pintada, perfeita para uma sala ensolarada fechada (Florida room). As peças coloridas começaram a vida como barcos. Ele também estoca mesas de jantar Wood-n-Nickel feitas no Alabama com madeira sólida. Integrado em um canto das mesas está um níquel Indian Head. 

    Reaproveitamento e reutilização estavam na mente de White quando ele inaugurou o negócio de restauração arquitetônica em 2003. “Odeio ver elementos arquitetônicos indo para o aterro”, diz ele. A reputação da SAS melhorou desde então e designers de casas frequentemente buscam na SAS  algo rústico para misturar com um design contemporâneo. Portas antigas têm sido usadas como divisores de ambientes, disse ele, e luminárias vintage casam estilos antigos com novos materiais. Há uma porta egípcia que ele sabe de alguém que está procurando. Ela encontrará um lar. Tudo encontra. 

    Até mesmo visitantes que chegam em carros alugados apenas com malas conseguem encontrar umitem imprescindível que é possível embalar.  

    Se eles não encontram o que desejam na SAS, eles vão até a Circus City Architectural Salvage onde os proprietários T.J. Broom e Greg Pemberton prestam homenagem a história circense de Sarasota. Fotos e banners circenses vintage estão espalhadas pelo lugar. 

    Embora tenha alguns itens repetidos - figuras de metal coloridas ao ar livre e letras de neon sem luz podem ser encontradas nas duas lojas - a Circus City tem com certeza uma energia diferente. 

    Parece mais uma loja de design do que um outlet de restauração. O prédio foi uma loja de madeira e ferragens nos anos 1950 e depois transformado em uma loja automotiva, e por fim uma serralheira antes de se tornar o lar de escotilhas, placas de publicidade de metal e muitas caixas de fósforo de restaurantes entre outros negócios antigos. Uma caixa de fotos branco e preto mostra o trabalho de um fotógrafo chamado Martin Clemens que trabalhou principalmente nas Bahamas. Um artesão ficaria encantado com as impressões de beldades se banhando e pescadores exibindo suas capturas.      

    Você provavelmente encontrará algo na Circus City que você nem mesmo sabia que precisava. Como talvez um gancho de ferro para o banheiro que lembra um cavalo marinho, ou uma sereia. Cabe bem em uma mala de mão. Ou talvez um balanço Vespa infantil, que não está velho, mas que certamente fará um pequeno sortudo fazer “vruum-vruum”.

    Broom disse que fica fascinado com o que ele e seu sócio encontram quando estão “escolhendo” nas vendas de imóveis ou em visitas domiciliares. “Toda vez que você compra algo, está apostando”, diz. Ele tem tido sorte até agora. Caminhões são enchidos várias vezes ao dia com preciosidades que alguém quer descarregar. Às vezes a Circus City tem sorte, outras não. Recentemente, um vendedor recebeu sinal positivo para um rádio de mesa Westinghouse dos anos 1940. É uma peça tão legal que Broom tinha certeza que ela encontraria um lar. Depois de uma inspeção detalhada ele encontrou uma pequena engenhoca de metal em uma gaveta (secreta?). Foi deixada por um dono antigo e parecia ser um apontador de lápis. Um tesouro dentro de um tesouro.  

    Além da mobília histórica circense, reproduções, projetores de filme antigos e máquinas de escrever, e bares caseiros originais feitos com frentes de ônibus, a Circus tem caixas de discos. Vinil vintage é um item colecionável em demanda, disse Broom, e as capas são muito usadas como arte para a parede, trazendo à mente dos compradores aquela época especial dos bailes de formatura. Nem pense em comprar o álbum do Herb Alpert pendurado no banheiro. O Whipped Cream & Other Delights, provavelmente mais conhecido pelo fotógrafo da mulher coberta de chantilly na capa, não está à venda.  

     

    Termine um dia vasculhando as lojas de restauração com um jantar no Owen’s Fish Camp na área de Burns Court de Sarasota. O restaurante abre às 16h diariamente e aqueles que chegarem muito depois terão que esperar por uma mesa.    

    Em um chalé aconchegante, os clientes desfrutam peixe local preparado com um toque contemporâneo. Os pratos têm forte influência do sul. O caranguejo de casca mole BLT frito é coberto com maionese de manjericão. O camarão com creme de milho é incrementado com linguiça defumada. Comece tudo com um pote de amendoim cozido ou um dip de caranguejo comqueijo servido com biscoitos Ritz.    

    A vantagem do Owen’s Fish Camp, além da história e culinária local, é que as lojas de restauração da Central Avenue forneceram parte da decoração. Você vai jurar que já viu aquela lanterna ou porta marcada pelo tempo em algum lugar antes.  

     

    SPONSORS & PARTNERS